Enquanto escrevia minha autobiografia, tentei lembrar como foi a minha infância, quais as minhas primeiras palavras, como era meu relacionamento com minhas irmãs, primos e família. Eram tantas perguntas e recordar nitidamente a sua história desde o nascimento e a fase de aprendizagem não era fácil.

Foi então que minha mãe me mostrou o diário que ela fez. Enquanto lia esse caderno com todas as anotações inclusive com as minhas falas infantis, o carinho e o cuidado que minhas irmãs tiveram comigo, meu pai, meus padrinhos e outros acontecimentos me emocionaram de tal forma que fiz questão de incluir essas páginas em meu livro.

O que minha mãe, fez por mim, com todo seu amor, perseverança e sempre acreditando no melhor me deixou sem palavras. Ela é minha heroína, meu mundo e agradeço sempre por ser sua filha. Tenho uma grande admiração por ela, que foi forte, guerreira e sempre se fez presente em minha vida, me ensinando a falar e a ouvir o mundo.

Outras grandes mulheres que também se fizeram presentes em minha vida desde a infância foram:

  • A minha querida e amada vovó Celina que faleceu início desse ano, me deixando muitas saudades.
  • Minha fonoaudióloga que esteve em minha vida desde 1 ano e meio de idade e segue até hoje, a Anna Maria. Uma mulher a frente da sua época, que desde o uso dos meus primeiros aparelhos auditivos, ela me ensinou a discriminar os diferentes sons, a falar bem,  a interagir com o mundo.
  • Minha queria Dinda Carmen que sempre esteve ao meu lado, cada visita dela à minha casa era uma festa com muitas brincadeiras, ajudou e acompanhou minha mãe aos médicos, participou das atividades nas quais tinha que me estimular a ouvir sons distintos.

Parabenizo nessa data especial todas as mulheres, que são mãe, tia, Dinda, avó, bisavó, mãe adotiva, madrasta, amiga, etc. Cada uma delas, com seu jeito de ser, são especiais e que souberam cuidar e dar amor a todos. 

Gostei
Gostei Amei Haha Wow Triste Grrr