Nunca tinha viajado em excursão. No entanto, como minha mãe estava indo pela segunda vez com uma amiga, surgiu a oportunidade de eu ir junto dessa vez. Ao menos teria minha mãe para me ajudar caso precisasse de alguma assistência.

O roteiro era imperdível, Dubai e países escandinavos. E meu sonho sempre tinha sido conhecer a terra dos vikings, sua história e cultura. Tudo isso me fascinava, pois li vários livros sobre Suécia, Noruega e Dinamarca.

O roteiro foi feito pela agência de viagem DNIPRÓ GOLD Tour Operator de Curitiba, preparado com carinho cada detalhe, escolha de bons hotéis pela localização, com ótimo atendimento, roteiro turístico nos principais pontos de cada cidade, com guias locais que falavam português e além da organização e pontualidade, seus donos nos acompanharam durante a viagem toda, um casal maravilhoso: Sergio e Solange.

O grupo era composto de várias pessoas, algumas de SP e outras de Paraná. Todos muitos simpáticos, animados e atenciosos. Logo no início, no primeiro dia, sentei ao lado da minha mãe em Dubai para que ela pudesse transmitir o que o guia falava sobre a cidade. No entanto, minha mãe gostava de sentar ao fundo e as vezes no meio da conversa com amigas ou pelo barulho, ela perdia algumas partes. Logo pensei, como será na Escandinávia?! Louca para saber “tudo” sobre esses países…

Imaginei que de início, o pessoal da viagem que já conhecia minha mãe pela viagem anterior com o mesmo grupo para a Rússia, que ela tivesse contado a meu respeito e mostrado a minha coluna Cris Bicudo. No entanto, soube que algumas pessoas não tinham ideia de como eu era.

Nos primeiros dias em Dubai, por meio de conversa e entrosamento, aos poucos fui conhecendo o grupo e vice-versa. Quando chegamos na Suécia, fui sentar com minha mãe no fundo, quando de repente, ela me disse que estavam me chamando lá na frente. Assim, soube que o grupo tinha reservado o banco da primeira fileira bem ao lado de onde sentaria o guia, para mim. Dessa forma, poderia acompanhar tudo o que o guia dizia de cada paisagem que o ônibus passava, ele indicava pela janela o ponto turístico e nos contava a história dele.

Fiquei comovida pela preocupação de todos, sabendo que eu era apaixonada por história. E não parou por aí, sempre que o Sergio ou guia dizia uma informação importante pelo microfone, como por exemplo, horário de saída do ônibus no dia seguinte, sobre o café da manhã, roteiro do próximo passeio, etc, as pessoas que estavam sentadas próximas sempre faziam questão de repeti-las para mim. E com o tempo elas perceberam que eu era muito ligada (atenta) a tudo que acontecia e que realmente acompanhava bem as conversas, e com isso quando não entendia algo, elas perceberam que eu ia atrás.

E durante os passeios em museus ou parques, percebi o cuidado e jeitinho que as pessoas faziam com que eu me integrasse junto aos outros, sempre me chamando ou abrindo espaço para estar em frente ao guia para poder entender o que ele dizia. Isso foi importante para mim, pois assim pude acompanhar em “tempo real” tudo que acontecia, junto com o grupo.

Vivemos uma época em que as pessoas com deficiências lutam por seus direitos, assistências, melhorias, etc. E, nessa viagem, descobri que a melhor ajuda é aquela não solicitada, ou seja, uma ajuda formada pela “corrente” humana. É por meio dela e através de exemplos que vamos conscientizando e contribuindo para um mundo mais humanizado e inclusivo para todos, seja deficiente ou não deficiente. Fiquei comovida pelo carinho, simpatia e boa vontade entre as pessoas que conheci durante a viagem, o que antes era uma “excursão”, se tornou um grupo de amigos.

As melhores ações humanas são aquelas feitas de coração, sem exigir nada em troca.

Agradeço ao grupo maravilhoso do roteiro Platinum da DNIPRÓ GOLD – Dubai e Países Nórdicos – 16 de maio a 08 de junho de 2014.

E um obrigado especial ao casal maravilhoso que conheci: Sergio e Solange. Espero fazer novas viagens com vocês e o grupo!

Gostei
Gostei Amei Haha Wow Triste Grrr